30 de março de 2017

Sampa Cruz Envolvente - a revolução no encontro de wrap e argolas!


O Sampa Cruz Envolvente é um carregador de pano híbrido desenvolvido pela Sampa Sling inspirado na tendência internacional de combinação de vantagens de cada modelo. Ele tem o ajuste fino e preciso das argolas, combinado com a ergonomia e conforto do wrapsling e a praticidade do fastwrap ou pouch, sempre com a qualidade da Sampa Sling. Pode ser usado com bebês desde o nascimento até aproximadamente dois anos.

À venda na loja!






O novo Sampa Cruz Envolvente é um encontro entre o Wrap Sling e o Sling de Argolas, inspirado na tendência dos carregadores dois em um, que acumulam vantagens de dois ou mais modelos.

Feito em malha 100% algodão, com qualidade Sampa Sling certificada, essas são suas principais caractristicas:

Alças macias e amplas distribuem o peso igualmente entre os ombros;
O tecido macio passa facilmente através das argolas proporcionando ajuste fino.
Não é necessário fazer nós ou se preocupar com amarrações;
Permite carregamento em várias posições;
É possivel movimnetar o bebê, sem desmontar o carregador;
Fácil de lavar, não faz bolinhas, nem desbota.

3 de março de 2017

Estuda Sampa Estuda: Slingando bebês com deficiência

Mais um artigo que relata nossa experiência de aprendizado na área de consultoria para carregadores de bebê. Desta vez, fizemos na School of Babywearing em Londres um módulo específico para o atendimento de bebês com deficiência, estudando as peculiaridades de cada caso e aprendendo sobre como uma consultora, fabricante ou apoiadora do carregamento de bebês com auxílio dos facilitadores de colo deve ter sempre uma abordagem afetuosa e inclusiva.

A CONSULTORA PARA CASOS ESPECIAIS

O comportamento de quem apoia os pais que desejam usar os carregadores de pano com seus bebês é fundamental no processo de aprendizagem. Para as famílias com bebês com deficiência, essa troca é ainda mais rica. Permite à consultora um grande aprendizado sobre as especificidades daquela condição e ajuda a família a encontrar suas opções. Há algumas sugestões de conduta para os profissionais do colo. Ficamos muito felizes em constatar que estamos alinhados, especialmente no que diz respeito a não forçar regras universais de carregamento. 

1) FAÇA PERGUNTAS – Você não é obrigada a saber tudo sobre uma condição. Normalmente quando os pais tem um bebê com alguma deficiência física, problema genético, de desenvolvimento, etc. eles pesquisam muito sobre a condição. Então estarão normalmente melhor informados do que você. 

2) NUNCA CONTRARIE UMA ORDEM MÉDICA – Por mais que você saiba que o uso do sling pode melhorar muito a vida de um pai/mae e de um bebê, se existe uma ordem médica, ela deve ser seguida. Se for o caso, escreva ao médico, ou entre em contato com ele pra conversar sobre sua visão e encontrar uma forma de ajudar a família em conjunto com ele(a). 

3) SEGURANÇA É PRIORIDADE – Segurança sempre em primeiro lugar. Na dúvida, pesquise, converse, pergunte. Nunca indique algo que possa parecer perigoso ao bebê. 

4) SEJA ADAPTÁVEL – As vezes você não poderá seguir as instruções do carregador à risca. Ou a melhor indicação para um bebê saudável, nem sempre será a mesma para um bebê com alguma dificuldade. Portanto, se adapte, crie, mude o que puder. O importante é ajudar a família que deseja carregar seu bebê.

OS BEBÊS COM GESSO

Um bebe com uma perna engessada por exemplo, pode ser complicado de se carregar no sling. O que considerar? Primeiramente – o peso. A perna deve ser suportada. Nesse caso, pode-se colocar o bebe em sentado, de lado em um sling de argola ou wrap sling.

Posição sentado de lado no wrap com pré amarração





Posição sentado de lado no sling de argolas


O BEBÊ COM HIPOTONIA

Um grande número de bebes com Síndrome de Down também tem Hipotonia. Essas crianças não se mantêm eretas, assim como outros bebês, e tendem a escorregar dentro do carregador. Qualquer carregador deve oferecer suporte de qualidade não só para a parte superior das costas e ombros do bebê, mas também para os quadris, lombar, meio-costas e pescoço. Com crianças mais velhas que gostam de ter mais acesso aos seus braços e mãos, isso pode ser cada vez mais desafiador. Muitos pais de crianças com sintomas de hipotonia preferem um portador mais estruturado do que um wrap, como um mei tai ou mochila.

Alguns bebes também podem se sentir mais confortáveis com carregadores mais macios como um wrap de malha por exemplo. Apertando corretamente e completamente o carregador, tendo o cuidado de não apertar demais, é essencial - o sling deve apoiar não só a parte traseira superior do bebê, mas oferecerem suporte na base do pescoço.

Muitos bebês hipotonia, incluindo aqueles com Síndrome de Down, podem se cansar quando estão de pé, em posição ereta, mesmo em um sling. É importante manter-se atento aos sinais do bebê e oferecer intervalos frequentes se necessitar, ou mudar de posição mais frequentemente do que normalmente pode evitar a fadiga muscular do bebê

Lembre-se que o que funciona melhor para carregar qualquer criança pode mudar de situação para situação, mês a mês ou semana a semana. Se um carregador de bebê não estiver funcionando…. há sempre outras opções.




O BEBÊ PREMATURO

O objetivo é compartilhar informação de apoio e deixar que os pais decidam o que é melhor para eles e seus bebês. Normalmente um wrap elástico ou um sling de argolas são os ideais para recém nascidos. A consultora tem a responsabilidade de ouvir os pais, seus medos e receios e empoderá-los na sua escolha.

Ao invés de usar um wrap em cruz envolvente – talvez uma amarração “rede” possa ser mais confortável para um bebê, para que ele não tenha suas pernas muito separadas no sling. O ideal é manter o recém nascido em sua posição natural, não manipulando muito e prestando muita atenção nos BRAQS.

Conheça o Sampa Cruz Envolvente, a possibilidade de carregamento lateral, vertical ou em rede dupla desse modelo híbrido pode ser uma excelente alternativa para prematuros. 



O BEBÊ COM DISPLASIA E SUSPENSÓRIO PAVLIK



- Não puxe ou empurre os quadris
- O Sling deve apoiar a coxa do bebe completamente
- O bebe vai provavelmente ficar mais “pendurado” do que vc gostaria. 
- O carregador que vc escolher sera um tamanho maior do que o bebe – por exemplo se ele tiver 4 meses, ira precisar de um carregador do tamanho de um bb de 6 meses. 
- Pense sempre que tem um pouco de peso adicionado. 
- Como o bebê ficara um pouco mais “pendurado” do que de costume, existe um centro de gravidade diferente.
- A distância entre as pernas deve ser mantida

Bebe com pavlik em um wrap e uma mochila:





Outros links uteis:

O BEBÊ COM ÓRTESE (BOOTS AND BAR)

A ortese de Denis Brown é uma parte do tratamento para bebes com PTC (pé torto congênito) – A primeira faze é gesso.  Quando dando alguma informação a pais com bebês usando a Ortese, lembre-se de:

- Não encostar nos pés do bebe
- Algumas orteses são de ferro, podem ser bem pesadas. 
- Você pode precisar colocar o bebe em uma posição mais alta do que de costume.

Nesse momento eu fomos demonstrar como colocar um bebê com boots and bar em um sling e chegamos juntas à conclusão de que a maneira mais fácil pode ser  deitar o bebe na cama, com o sling (mochila) passar a parte da base do sling pelo meio das pernas da criança, prender na sua cintura e só assim levantar com a criança, com o sling já posicionado.



O BEBÊ COM OXIGÊNIO SUPLEMENTAR

- A maior preocupação aqui, quando slingando um bebe que necessita de oxigênio, é que a canula não seja obstruída. Então você pode usar um esparadrapo para direcionar o tubo no corpo para que isso não aconteça. 
- Bebês normalmente precisam de oxigênio suplementar – um bebe que não respira sozinho não estará no sling. 
- Oxigênio é altamente inflamável portanto a indicação é – não cozinhar, ficar perto de chamas ; fogo ou fumar com o bebe no sling. 
- Lembre-se que o pai terá que carregar o bebe mais o tanque de oxigênio, portanto é necessário considerar o peso.